Quatro Procissões marcaram a Sexta-feira Santa em Nossa Senhora das Dores

Nossa Senhora das Dores destaca-se como a única cidade no país com quatro procissões na sexta-feira Santa. São elas, Cruzeiro do Século, Procissão do Madeiro, Senhor Morto, Penitentes.


Arivaldo Leite de Carvalho um dos organizadores da procissão dos penitentes (Foto arquivo visitedores.com)

A cidade de Nossa Senhora das Dores é uma das únicas do Brasil a realizar quatro grandes procissões no mesmo dia. Em tradição reconhecida como Patrimônio Cultural Imaterial de Sergipe, a Sexta-feira Santa foi marcada pelas procissões em devoção à Paixão de Cristo, os atos reúnem milhares de devotos que, em atitude de fé e contrição, vão às ruas da cidade para reviver a paixão e morte de Jesus Cristo.  
 
O município de Nossa Senhora das Dores é por excelência católica (90% de seus habitantes), as procissões fazem parte de uma tradição amplamente respeitada em uma manifestação de fé e religiosidade que tem lugar garantido no coração e na vida dos dorenses e visitantes.


Cruzeiro do Século


A primeira procissão do dia, Cruzeiro do Século, tem início às 4h da madrugada em frente à Igreja Matriz Nossa Senhora das Dores. Há tradicional procissão completa 35 anos neste ano de 2018. “conta a fundadora da Procissão, Dona Iolanda, que fizeram a primeira procissão por causa da seca de 1983. Ela juntamente com um grupo de oito mulheres e uma criança pediu a Deus a Chuva, se chovesse agradeceriam, se não, manteriam em oração. Na virada da quinta-feira maior para a sexta-feira santa começou a chover fortemente”. Receberam a graça, a procissão não deixou de existir, sempre seguindo o mesmo percurso rumo ao Cruzeiro do Século. a procissão que começou com um pequeno grupo de mulheres, a cada ano reúne milhares de pessoas até de outros estados.


Procissão do Madeiro

A Procissão do Madeiro é outro momento muito especial na sexta-feira santa de Nossa Senhora das Dores. A partir das 14h e seguindo por toda a tarde, os fiéis vão a peregrinação percorrendo as ruas da cidade, com o objetivo de relembrar a caminhada de Jesus Cristo rumo ao calvário.


A cerimônia é realizada por homens, vestidos de branco que carregam a cruz. As mulheres também têm um papel importante na procissão, elas se vestem de preto e usam um véu que envolve o rosto para que durante o trajeto não sejam reconhecidas, como fizeram as beatas no dia da crucificação de Jesus.
Senhor Morto


A procissão do senhor morto é outra que atrai muitos fieis. Duas procissões do senhor morto são realizadas na cidade: uma pela paróquia de Nossa Senhora das Dores e a outra pela paróquia São Cristóvão. Ambas tem início com a celebração da Santa Cruz, às 17 h. Depois partem pelas principais ruas do bairro em tom de oração e cantos de penitência.


Para Nilton César Pereira que é Pároco da Paróquia de Nossa Senhora das Dores (Igreja que leva o nome da cidade), a procissão do Senhor Morto é um momento para ser celebrado com bastante devoção. “Esse é um momento em que os fiéis recordam a paixão e morte do Nosso Senhor Jesus Cristo. Nessa procissão acontece o cortejo da imagem do Senhor Morto a qual é venerada pelos fieis na esperança da ressurreição do senhor Jesus. É próprio do dia da sexta-feira da Paixão celebrar o Senhor Morto. Aqui em Nossa Senhora das Dores faz parte da cultura e religiosidade do nosso povo. É um momento também onde os filhos da cidade que estão distantes vêm rever a família e participarem da procissão e das celebrações.”


Nilton César Pereira que é Pároco da Paróquia de Nossa Senhora das Dores(Foto arquivo visitedores.com)


Penitentes  


A procissão dos Penitentes é uma das que mais reúne fieis. Ela possui uma simbologia que também se difere um pouco das outras. Às 19h, centenas de homens vestidos de branco e encapuzados partem levando consigo a procissão de fieis. Eles cumprem um percurso de aproximadamente 12 km de peregrinação na procissão que dura de sete a oito horas de caminhada.


“É uma tradição que já existe há mais de 100 anos na cidade, percorrendo as periferias e também o centro da cidade nas quinze estações da via-sacra, que lembra o martírio de Jesus. O objetivo maior de todo esse sacrifício é a proximidade que procuramos ter com Deus e também as preces que fazemos pelo fieis já falecidos. Levamos esse momento com muita seriedade, dedicação e fé”, ressaltam os organizadores da procissão dos penitentes.

Por, Delmanira Brito - jornalista e fotógrafa do visitedores.com
 

Foto arquivo visitedores.com

03 de Abril de 2018,
Postado por Visite Dores em Notícias